quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

Afinal, o que a criança pequena tem de saber?

A pergunta foi feita por uma mãe, em um fórum de discussão sobre educação. As respostas surpreendem e servem para nossa reflexão, como profissionais que trabalham com a Primeira Infância e que, diariamente, têm contato com pais muitas vezes angustiados porque não sabem, de fato, o que é melhor para seus filhos.

Este post foi inspirado em um texto publicado no portal de notícias americano The Huffngton Post, que nos chamou a atenção.

Ele fala de um tema que tem pautado discussões entre educadores e pais. Não é nada conclusivo, porém, para seu trabalho, serve como base às suas argumentações e, até mesmo, para você refletir sobre como tem encaminhado as orientações que dá aos pais.

O que o artigo traz é a realidade do mundo contemporâneo onde “ter”, “ser”, “saber” mais parecem pré-requisitos para uma espécie de competição. Muitos pais sentem-se melhores quando percebem que seus filhos sabem mais do que outros, como se isso os tornassem diferenciados.

Mas, será que é por aí que o sucesso futuro de um indivíduo pode ser medido?

Aquela pergunta da mãe, sobre o que a criança pequena tinha de saber, trouxe uma série de respostas da especialista Alicia Bayer, transcritas no artigo, que merecem ser compartilhadas com seus colegas educadores e com as famílias.

Enquanto para algumas mães a lista de saberes incluía, entre outras coisas, conhecer os nomes dos planetas e contar até cem, a da especialista trazia outras competências.

Para ela, uma criança deve saber…
… que a querem por completo, incondicionalmente e em todos os momentos.
… que está segura e como manter-se a salvo em lugares públicos, com outras pessoas e em distintas situações.
… seus direitos e que sua família sempre a apoiará.
… rir, fazer-se de boba, ser “vilã” e utilizar sua imaginação.
… que nunca acontecerá nada se pintar o céu de laranja ou desenhar gatos com seis patas.
… que o mundo é mágico e ela também.
… que é fantástica, inteligente, criativa, compassiva e maravilhosa.
…que passar o dia ao ar livre fazendo colares de flores, bolos de barro e casinhas de contos de fadas é tão importante como praticar fonética.

Mas, a especialista não parou aí e também elaborou uma lista do que os pais devem saber:

Que cada criança aprende a andar, falar, ler e fazer cálculos a seu próprio ritmo, e que isso não tem qualquer influência na forma como irá andar, falar, ler ou fazer cálculos posteriormente.

Que o fator de maior impacto no bom desempenho escolar e boas notas no futuro é ler para as crianças desde pequenas, dedicando um tempo do dia ou da noite para isso.

Que ser a criança mais inteligente ou a mais estudiosa da turma nunca significou ser a mais feliz. A obstinação em garantir aos filhos todas as “oportunidades” acaba gerando uma vida com múltiplas atividades e cheia de tensão como a dos adultos. Uma das melhores coisas que se pode oferecer às crianças é uma infância simples e despreocupada.

E você, educador, o que acha que uma criança pequena deve saber? Você concorda com as listas apresentadas pela especialista? Deixe aqui a sua opinião e, se desejar, confira o artigo completo.