sexta-feira, 9 de novembro de 2018

Aprenda como lidar com o início da vida escolar dos filhos

A adaptação a essa situação não é uma coisa muito fácil, sobretudo pelo fato das mães já carregarem características de super proteção

Por mais que o tempo passe, você sempre vai se deparar com uma mãe que ainda enxergue o filho como uma criança frágil e indefesa que precisa de toda proteção do mundo.

Já quando as crianças realmente são pequenas e precisam dessa atenção, difícil mesmo é vê-las preparando o espírito para o início da vida escolar do filho. Por mais cuidado que tenha envolvido, essa é uma fase mais que necessária.

De acordo com a psicóloga do Hospital e Maternidade São Cristóvão, Yara Satie dos Santos, o início da vida escolar da criança é um desses momentos impactantes para uma mãe. “Os filhos estão começando na escola cada vez mais cedo, em função de fatores sociais, familiares e econômicos, por isso muitas mães relutam em aceitar e permitir que seus filhos tenham independência emocional”, analisa.

Para viver essa nova etapa de maneira menos conflituosa, o ideal é a família incentivar a auto segurança nas crianças para o enfrentamento de desafios desde bebês, assim se sentirão capazes de resolver sozinhos novas situações. Já por outro lado, isso também acaba ajudando as mães, que passam a enxergar os filhos com mais autoconfiança, o que acaba ajudando em deixá-la mais conformada com o início da fase escolar.
Aprendendo com a situação
Na intenção de tornar essa fase da vida de toda criança mais fácil para ela própria e também para os pais, Yana passa algumas orientações.

Comportamento da criança
A primeira delas diz respeito ao próprio ambiente escolar. “Não é raro crianças demonstrarem recusa ao ambiente escolar, chorarem ao se despedirem e serem encontradas sorridentes na saída da escola. Tudo faz parte do período de adaptação. Os pais não devem induzir respostas do filho como forma de justificar a própria recusa de vê-lo bem com outras pessoas”.

Essa é uma fase muito difícil para os pais que também não entendem o motivo de toda essa contradição comportamental dos filhos. “Somente quando maiores é que conseguem se expressar e dizer o motivo de não gostarem da escola, cabendo aos pais analisar o que realmente está acontecendo”, explica a especialista.

Perfil da criança
Uma atitude muito essencial que ajuda muito a contornar situações de recusa da própria criança ao ambiente escolar é que se leve em consideração a escolha da escola com o perfil da criança, “É um momento de muitas dúvidas e preocupações, então é importante visitar várias instituições, solicitar indicações aos mais próximos, priorizar locais de fácil acesso para que a criança não se canse no percurso da casa ao colégio, que o ambiente seja seguro, agradável e adequado à faixa etária do filho”, aconselha Yana.

Relacionamento
A empatia da criança com os novos amiguinhos começa antes mesmo de chega à escola. Por isso, o relacionamento da criança com colegas de diversas idades é possível desde o transporte escolar. Muitos pais não têm disponibilidade de levar e buscar seus filhos, de tal forma a contratação de peruas escolares é bastante comum. De acordo com a especialista, além das experiências de convício social, ainda aprendem a dividir o espaço e cuidar de seus pertences.

Adaptação
Na intenção de ajudar no processo de adaptação das crianças ao ambiente escolar, muitas instituições permitem que os pais passem um tempo com os pequenos, inclusive vivenciando atividades junto com o filho. Nesse caso, a psicóloga diz que, “cabe aos pais preparem os filhos para reconhecerem suas capacidades para o enfrentamento do novo. Confie nos exemplos e ensinamentos oferecidos a eles”, endossa.

Para finalizar, a especialista ainda joga uma frase de efeito que tem tudo a ver com a ideia que muitos pais carregam na cabeça, sobretudo no que se relaciona com a independência dos filhos. “O amor que as crianças têm pelos pais não mudará mesmo que elas sejam independentes”, finaliza.