sábado, 6 de outubro de 2018

Ser mãe e trabalhar, a realidade da maioria das mulheres

E como fazer para não deixar a culpa dominar o pensamento?
Não são poucos aqueles conselhos para mães sobre a criação dos filhos envolvendo a desaceleração do trabalho. Pise no freio, de quantidade e qualidade de tempo. O trabalho pode esperar, o filho não.

A verdade é que muitas mães gostariam mesmo de deixar de trabalhar, mas não podem. Também há as que não querem.

O ônus da culpa por trabalhar não considera que essa também é uma forma de dedicação aos filhos. Dedicação integral não é apensas estar no mesmo espaço físico, é lutar por educação, bem estar, saúde, alimentação e lazer.

E como conseguir isso sem ser mãe integral? Não existe mãe que trabalha e deixa de lado a dedicação integral porque, simplesmente, é impossível.

TRABALHAR PARA DAR O QUE ACHA JUSTO E CERTO PARA O FILHO NADA MAIS É QUE DEDICAÇÃO INTEGRAL

Nas muitas modalidades de trabalho, as mães ainda têm que gerir o tempo em que devem ser a profissional e a mulher que tem filhos.

Não há uma fórmula pronta, mas cada vida tem suas próprias possibilidades. É olhar para si, para os filhos e perceber como fazer. Cada um sabe onde o calo aperta e, principalmente, onde alivia.

O que não pode é dar espaço para a culpa. Aquele beijo no caminho da escola, o lanche quentinho, a mão estendida enquanto um soro é aplicado traduzem o papel integral da mãe.

Muitas podem pensar que não, mas sim, os filhos conseguem compreender que suas necessidades são atendidas da melhor forma possível.