segunda-feira, 24 de setembro de 2018

Gravidez aos 35: saiba quais exames fazer

Exames e acompanhamento médico são maiores. Saiba que cuidados deve ter
A quantidade de exames obrigatórios para as grávidas com idade superior a 35 anos é ligeiramente maior, se compararmos com as gestantes mais jovens.

A partir dos 35 anos, existe um maior perigo de aborto ou de complicações para as grávidas e para os fetos.

Isso acontece porque os óvulos sofrem algumas transformações que elevam o risco de a criança sofrer de síndrome genética. É o caso da síndrome de Down.

Felizmente, nem todas as gestantes depois dos 35 passam por problemas no decorrer da gravidez, no trabalho de parto e no período posterior ao parto.

Os perigos são maiores diante de um quadro de obesidade, diabetes ou tabagismo.

É A PARTIR DOS 35 ANOS QUE EXISTE UM MAIOR PERIGO DE ABORTO OU DE COMPLICAÇÕES PARA AS GRÁVIDAS E PARA OS FETOS

Quais exames são obrigatórios depois dos 35?

1. Perfil bioquímico fetal
Auxilia no diagnóstico de distúrbios genéticos no bebê.

2. Cariótipo fetal
É recomendável sempre que as análises de translucência nucal ou ultrassom morfológico apresentam algo fora do normal.

É igualmente importante para o diagnóstico de problemas genéticos.

3. Biopsia do vilo corial
Trata-se de um exame muito relevante para detectar a síndrome de Down, entre outros distúrbios genéticos.

Relacionado: Gravidez depois dos 35: a idade ideal para ter filhos

4. Enzimas hepáticas
Esse é um exame de sangue aconselhável para grávidas que tenham um histórico de problemas no fígado.

5. Ecocardiograma fetal e eletrocardiograma
Analisa o funcionamento do coração do feto, sendo recomendável quando já foi diagnosticada alguma anormalidade cardíaca no bebê.

6. MAPA
Aconselhável para mulheres com uma pressão elevada, para confirmar se existe o perigo de pré-eclâmpsia.

7. Amniocentese
Detecta problemas genéticos. É o caso da síndrome de Down e infecções, como rubéola.

O exame tem de ser feito entre a 15ª e a 18ª semanas de gravidez.

8. Cordocentese
Igualmente conhecida como amostra de sangue do feto, a análise detecta alguma anormalidade nos cromossomos do bebê, além de diagnosticar alguma suspeita de contaminação por rubéola e toxoplasmose tardia na gestação.

O exame tem de ser feito entre a 18ª e a 20ª semanas de gravidez.

9. Beta gonadotrofina cariônica humana e PAPP-A proteína plasmática associada
Auxiliam no diagnóstico da síndrome de Down.

Os exames têm de ser feitos entre a 11ª e a 14ª semanas de gravidez.

Nota: além do tradicional exame de ultrassom, é possível recorrer a análises de ultrassom em 3D e 4D, através das quais você pode ver o rosto do feto. Esses exames ainda diagnosticam algumas doenças. Todos os exames devem ser feitos com o acompanhamento do médico.