segunda-feira, 30 de julho de 2018

Nascimento dos dentes

NASCIMENTO DOS DENTES: REAÇÕES, SINTOMAS E COMO TRATÁ-LOS 

Nascimento dos dentes. Sempre ouvi coisas horrendas sobre essa fase: os bebês ficam chatos, irritados, intratáveis, não dormem direito, não deixam a gente dormir, não querem comer, só querem colo, não querem colo, não querem nada… Enfim, até a mais santa das criaturas dá uma passadinha para a turma do capeta nessa terrível fase.
Mas eu achei que aqui em casa seria diferente (vejam que eu ACHEI, ou seja, a história é outra). O primeiro dentinho do Leo que percebeu foi o pai dele. Um belo dia, estávamos tomando café da manhã na padoca aqui perto de casa, o Otávio não sei por que colocou o dedo na boca do pequeno e soltou essa: “O Léo está com um dente”. E eu: “Imagina! De que jeito?! Como que EU, que passo O DIA COM ELE, não teria percebido uma coisa dessas?”. E ele: “Pois é, não percebeu. Tá aqui.”.
E estava mesmo. Aquela mini serrinha branca enfeitando a boquinha do meu ex-banguela. Coisa fofa!

Mas mais feliz com a notícia do primeiro dentinho eu fiquei com a falsa ideia de que o Léo era diferente das demais criaturas da face da terra e não sofria nem um tiquinho só com o nascimento dos dentes. Sim, porque eu não tinha percebido nada demais no comportamento dele até o dentinho aparecer. A única coisa que eu andava reclamando era que ele estava acordando mais cedo de manhã, mas fora isso, tudo na santa paz (quer dizer, típica paz aqui de casa, que nunca é uma paaaaaaaaaz de verdade).

Mas a ilusão durou pouco. No segundo dentinho o Léo já deu uns tilts. Me lembro até hoje que numa bendita segunda-feira, na soneca da manhã, ele não quis dormir de jeito nenhum. Deu um show, berrou, gritou, tentou se jogar do meu colo e assim foi. Passou o dia todo chato e intratável e no dia seguinte lá estava o dente.

Bom, mas até aí, tudo bem. Se o único sintoma fosse uma manhã de pernas para o ar e uma tarde mais confusa, tudo belezinha. Que viessem os outros dentes.

E veio o terceiro, só que aí subimos mais um degrauzinho na escala do “Deus no acuda”. Além de dar show para dormir de dia, o Léo também dormiu super mal duas noites e teve uma diarréia estranha. Ok, mas vamos seguir o baile que até aqui sobrevivemos.

E essa semana chegou o quarto. Para melhorar a situação, no meio de uma crise de bronquiolite do meu pequeno, com ele tomando antibiótico e tudo. Moral da história: o quarto dente acaba de assumir a primeira posição em sofrimento causado para o meu pequeno e para a família em geral (até a sogrona anda pagando o pato, porque vira e mexe corro para pedir socorro para ela).

Bom, dessa vez foi a fez dele não só ficar chatinho (acordado e dormindo, só para constar), ter diarréia, comer menos, muito menos, ter febre, como também ter a assadura mais horrenda da sua história. Tadinho! O bumbum é de dar dó, dar ânsia, dar vontade de chorar (PS 1:  juro que estou cuidando super, super, super bem para o bumbum melhorar logo. E já melhorou bem. PS 2: sei que a situação deve ter ficado pior por conta da bronquiolite e do antibiótico que ele está tomando, então, não posso culpar só o dente).

Bom, contei toda essa história e enrolei até aqui para que? Para dizer que o nascimento dos dentes pode sim causar muuuuuuiiiiitto transtorno em uma casa. E para também passar para vocês algumas dicas para amenizar o desconforto causado por eles.