quarta-feira, 18 de julho de 2018

Gravidez e Parto

                                  Gravidez e Parto
Hoje veio mostrar a vocês o parto normal e o cesárea. parto, também conhecido como dar à luz, é o momento em que o bebê nasce após cerca de 40 semanas de gestação.

Se acontecer antes do tempo, o parto será prematuro e isso pode representar riscos para a vida da mãe e do bebê.
Toda grávida deve fazer o Pré-Natal, para acompanhar o desenvolvimento do seu bebê através de diversos exames, podendo detectar qualquer anormalidade e garantir um parto tranquilo.

Os Cuidados Pré-Natais
Durante a gestação, os exames do pré-natal orientam os médicos e as parturientes sobre o desenvolvimento do bebê.

São realizadas ultrassonografias em cada trimestre da gravidez para saber peso e tamanho do feto e identificar malformações; além disso, são feitos exames de sangue e outros específicos para gestantes.
A equipe médica deve orientar e esclarecer as dúvidas da gestante e seu companheiro, que devem decidir a melhor forma para o nascimento do seu bebê.

Recomendações da OMS
Segundo o Relatório Mundial de Saúde da OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgado em 2005, as consultas pré-natais são fundamentais para planejar o parto e preparar a mãe para a maternidade.

Além disso, esse pode ser um momento importante para iniciar o planejamento familiar, orientando sobre a escolha de ter mais filhos e o momento certo para tal, os métodos contraceptivos, e também sobre programas de controle de doenças sexualmente transmissíveis (DST) e sobre a desnutrição infantil.

O Medo do Parto
O parto é um momento muito importante na vida de qualquer pessoa, o nascimento de um novo ser marca o início de muitas responsabilidades para os pais e de muita felicidade para toda família.
Apesar de ser um fenômeno natural, o parto está cercado de tabus e mitos que são passados de geração em geração e estimulados nos meios de comunicação.

Isso gera nas mulheres muitas dúvidas e medos: medo da dor, medo de que o bebê morra, medo de não conseguir. Toda mulher deveria conhecer o próprio corpo e receber apoio (da equipe médica, do companheiro, da família, etc) para escolher a melhor forma de dar à luz ao seu bebê.

Existem vários tipos de parto, sendo os principais: normal, de cócoras, na água, cesárea, induzido, com uso de fórceps, entre outros.

Parto Normal
O parto normal, como o próprio nome indica, acontece naturalmente respeitando o processo fisiológico.

Não há necessidade de medicação, mas muitas mulheres recebem anestesia para controlar a dor, relaxar e ter dilatação mais rapidamente.

O trabalho de parto começa com contrações e o colo do útero se dilata até que permita a passagem do do feto através do canal vaginal, depois é expelida a placenta.

Parto Cesariana
O parto cesárea ou cesariana é um procedimento cirúrgico no qual o feto é retirado por um corte abdominal.

É indicado para situações onde há risco de vida para a mãe ou o bebê.


Isso se aplica em situações graves como, por exemplo: a eclâmpsia que provoca convulsões na mãe, placenta prévia que impede a passagem do bebê ou ainda quando o bebê dá sinais de sofrimento fetal.
As cesáreas eletivas, ou seja, feitas por opção da parturiente e não em situações de risco, podem ter complicações como hemorragias e infecções.
Muitas vezes são realizadas antes de iniciar o trabalho de parto, baseadas na data prevista de nascimento, de forma que em alguns casos são um parto prematuro.

Parto Induzido
O parto pode ser induzido através da administração de substâncias, sendo muito usada a ocitocina sintética, similar ao hormônio produzido naturalmente pelo corpo materno durante o parto.

Geralmente, é realizado quando o trabalho de parto não evolui e a mulher não tem dilatação, por exemplo, em casos de gestações que ultrapassam as 40 semanas, e condições específicas.

É utilizado como tentativa de realizar o parto normal e evitar a realização de cesariana, sendo que o uso excessivo da ocitocina e a demora na realização do parto pode provocar problemas no útero e sofrimento fetal.

Parto por Fórceps
O parto pode ser realizado usando instrumentos específicos como é o caso do fórceps.

Ele é introduzido na vagina e posicionado nas laterais da cabeça do feto de forma a puxá-lo e facilitar a sua saída.

Há diversos relatos de lesões na mãe e no bebê causadas pelo uso do fórceps, no entanto, os médicos garantem que é uma forma segura.

Parto Humanizado
No parto humanizado, os profissionais de saúde envolvidos respeitam o momento do bebê nascer e evitam intervenções desnecessárias, como fazer o corte no períneo chamado episiotomia, fazer lavagens intestinais, utilizar ocitocina sintética para acelerar o parto, entre outros.

É um processo que envolve diferentes tipos de parto, podendo ser realizado no hospital, em casas de parto ou na casa da parturiente (parto domiciliar) .