terça-feira, 12 de março de 2019

O que fazer quando o bebê está com tosse

Para aliviar a tosse no bebê, pode-se pegar o bebê no colo para manter sua cabeça mais elevada, já que isso ajuda o bebê a respirar melhor. Quando a tosse estiver mais controlada, pode-se oferecer um pouquinho de água, na temperatura ambiente, para hidratar as cordas vocais e fluidificar as secreções, acalmando a tosse. O bebê deverá tomar bastante água durante o dia, cerca de 100 ml por cada kg de peso.

Outras opções para ajudar a aliviar a tosse do bebê podem ser:

Fazer inalação com soro fisiológico, usando um nebulizador que se compra na farmácia, isso ajuda a limpar as vias aéreas sendo muito eficiente. Se não tiver condições de comprar um nebulizador pode dar um banho morno no bebê com a porta do banheiro fechada para que o vapor de água facilite a saída do catarro, melhorando a respiração. Veja como desentupir o nariz do bebê;

Misturar uma colher (de café) de mel com um pouquinho de água, se o bebê tiver mais de 1 ano;
Colocar 1 gota de óleo essencial de cerejeira numa bacia com água quente pode ser útil para aliviar a tosse infantil. Confira 4 formas de usar a Aromaterapia no combate à Tosse.

Os remédios como xaropes anti-alérgicos, antitússicos, descongestionantes ou expectorantes só devem ser usados quando receitados pelo pediatra porque nem todos os medicamentos podem ser usados nas crianças, além que de toda tosse que dura mais de 5 dias deve ser investigada pelo médico. Normalmente em bebês com menos de 2 anos de idade, o pediatra não recomenda o uso de remédios, se não houver febre ou dificuldade respiratória.

Remédios caseiros para tosse em bebê
Remédios caseiros podem ser indicados em caso de tosse causada por resfriado, e boas opções são o xarope de cenoura e chá de cascas de cebola. Para preparar:

Xarope de cenoura: ralar uma cenoura e adicionar 1 colher de chá de açúcar por cima. Depois oferecer ao bebê o suco natural que sai da cenoura, que é rico em vitamina C;
Chá de cascas de cebola: em 500 ml de água adicionar as cascas marrons de 1 cebola grande e deixar ferver. Coar e oferecer ao bebê em pequenas colheres quando estiver morno.

Outra boa estratégia é colocar algumas gotinhas de soro fisiológico no nariz do bebê antes das mamadas ou refeições e limpar o nariz do bebê com um cotonete com pontas grossas (próprios para bebês). Existem também, à venda em farmácias e drogarias, aspiradores nasais, que são muito eficientes para eliminar o catarro, desobstruindo o nariz, o que também combate a tosse. Saiba como combater a tosse com catarro.

Como aliviar a tosse do bebê à noite
Uma boa forma de evitar a tosse noturna é colocar um travesseiro ou toalhas dobradas por baixo do colchão do bebê, como mostra a imagem a seguir, para elevar um pouco a cabeceira do berço porque assim as vias aéreas ficam mais livres e o refluxo diminui, reduzindo a tosse do bebê, garantindo um sono mais tranquilo.
Principais causas de tosse no bebê
A tosse em bebê normalmente é causada por problemas respiratórios mais simples como gripe ou resfriado. A principal suspeita de que a tosse é causada por problemas respiratórios é a presença de catarro, nariz entupido e a dificuldades em respirar.

Outras causas menos comuns de tosse em bebês são laringite, refluxo, asma, bronquiolite, pneumonia, coqueluche ou aspiração de um objeto e por isso se mesmo após o início do tratamento com medidas caseiras ou de acordo com a orientação do pediatra, a tosse permanecer por mais de 5 dias ou se for muito forte, frequente e incomodativa, deve-se levar o bebê ao pediatra para que ele possa indicar o que está acontecendo e qual o melhor tratamento. Veja como identificar os sintomas de pneumonia em bebês.

Quando levar o bebê ao pediatra
Os pais devem se preocupar e levar o bebê ao pediatra sempre que o bebê estiver com tosse e:

Tiver menos que 3 meses de idade;
Se tiver tosse por mais de 5 dias;
Se a tosse for muito forte e prolongada, como tosse de cachorro;
O bebê estiver com 38ºC de febre;
A respiração do bebê parecer mais rápida que o normal;
O bebê estiver com dificuldade em respirar;
O bebê estiver fazendo um barulho ou chiado ao respirar;
Se tiver muito catarro, ou catarro com fios de sangue;
O bebê tiver alguma doença cardíaca ou pulmonar.
Na consulta com o pediatra, o responsável deve indicar todos os sintomas apresentados pelo bebê, quando eles começaram e tudo o que foi feito para tentar aliviar a tosse do bebê.

Como curar a dor de garganta do bebê

Em caso de infecção de garganta no bebê o pediatra pode indicar o uso de remédios para garganta como Paracetamol, Ibuprofeno, e em alguns casos, antibióticos como Amoxicilina.

No entanto, os pais podem ajudar no tratamento adotando algumas medidas caseiras simples como dar banho no bebê com água morna para fluidificar as secreções e dar suco de laranja, que é rico em vitamina C, para a aumentar as defesas do organismo.

Geralmente a dor de garganta é causada por algum vírus, devido a uma gripe, e nas crianças saudáveis, esse quadro se mantém por 5 a 7 dias.
Sintomas de garganta inflamada no bebê
O bebê com dor de garganta, geralmente, recusa-se a comer ou a beber, chora quando engole ou come e apresenta secreções ou tosse.

No bebê com menos de 1 ano pode haver também:

Inquietação, choro fácil, recusa alimentar, vômitos, alteração do sono e dificuldade respiratória devido ao catarro no nariz.
Nas crianças maiores:

No caso de crianças com mais de 1 ano, é mais fácil identificar a dor de garganta, pois elas costumam queixar-se de dor na garganta ou no pescoço quando engolem, bebem ou comem alguma coisa. Outros sintomas que podem estar presentes são:

Dor de cabeça, dor por todo corpo e calafrios, catarro, e vermelhidão da garganta e dentro dos ouvidos, febre, náuseas, dores de barriga e pus na garganta. Determinados vírus também podem causar diarreia.
O que fazer para curar a dor de garganta do bebê
Para curar a dor de garganta do bebê, algumas medidas caseiras que podem ajudar a aliviar a dor e a inflamação da garganta incluem:

1. Cuidados gerais

Dar um banho morno ao bebê, fechando a porta e a janela do banheiro: o vapor de água que o bebê vai inalar fluidifica as secreções, ajudando a limpar a garganta;
Lavar o nariz da criança com soro fisiológico, caso existam secreções: remove as secreções da garganta, ajudando a limpá-la;

Não deixar a criança andar descalça e agasalhá-la quando tiver que sair de casa: a diferença brusca de temperatura pode piorar as dores de garganta;
Ficar com o bebê ou a criança em casa, se houver febre: não levar o bebê para a creche ou a criança para a escola até a febre passar. Veja o que fazer para baixar a febre do bebê.
Lavar frequentemente as mãos para evitar a contaminação dos outros.
2. Quando dar remédios
Os remédios para garganta inflamada no bebê só devem ser usados sob indicação do pediatra Doenças causadas por vírus nem sempre precisam de medicamentos porque em 7 dias o corpo reage, havendo melhora dos sintomas. No entanto, o pediatra pode receitar:

Analgésicos como Paracetamol em forma de xarope;
Anti-inflamatórios como Ibuprofeno ou Acetominofeno em forma de xarope;
Descongestionante nasal como Neosoro ou Sorine infantil, em forma de gotas ou spray para crianças maiores.
Não são aconselhados antibióticos se a infecção não for causada por bactérias. Também não são aconselhados remédios para tosse e anti-histamínicos por não serem eficazes em crianças pequenas e terem efeitos colaterais.

A vacina da gripe é particularmente indicada para crianças que possuem asma, doenças cardiopulmonares crônicas, doença renal, HIV + e nas crianças que precisam tomar aspirina diariamente. Nas crianças saudáveis, deve-se conversar com o pediatra antes.

3. Cuidados com a alimentação
Dar alimentos moles ao bebê a partir dos 6 meses de idade: são mais fáceis de engolir, reduzindo o desconforto e a dor de garganta. Exemplos de alimentos: sopa ou caldos mornos, purê de frutas ou iogurtes;

Dar muita água, chás ou sucos naturais ao bebê: ajuda a fluidificar as secreções e a limpar a garganta. Veja os melhores remédios caseiros para dor de garganta.
Evitar dar alimentos muito quentes ou gelados à criança: alimentos muito quentes ou gelados pioram a dor de garganta;

Dar suco de laranja ao bebê: a laranja tem vitamina C, que aumenta as defesas do organismo;
Dar mel à criança com mais de 1 ano: ajuda a hidratar a garganta, aliviando o desconforto.
As dores de garganta, geralmente, desaparecem em uma semana, mas se a criança tiver tomando os remédios prescritos pelo pediatra e estas medidas caseiras forem adotadas, ela poderá sentir-se melhor em cerca de 3 a 4 dias.

Sinais de alerta para voltar ao pediatra
Depois do bebê e da criança já terem sido observados pelo pediatra, o tratamento deve ser iniciado o quanto antes. No entanto, é aconselhado voltar ao pediatra se observar os seguintes sintomas: Dificuldade para respirar, febre alta, cansaço e sonolência frequente, pus na garganta, queixa de dor de ouvido ou tosse persistente por mais de 10 dias.

Como combater a prisão de ventre nos Bebês

Para tratar a prisão de ventre deve-se dar à criança alimentos ricos em fibras e incentivar a ingestão de água, além de fazer uma massagem no abdômen.
A prisão de ventre na criança pode provocar fezes duras e secas, dor e inchaço da barriga, o que pode levar a criança a sentir-se desconfortável e, acontece quando os movimentos do intestino ocorrem com menos frequência do que o habitual, acumulando as fezes.

Alimentação para soltar o intestino
Para ajudar a tratar a prisão de ventre infantil, deve-se dar à criança:

Pelo menos 850 ml de água por dia, pois a água ao chegar no intestino ajuda a amolecer as fezes;
Sucos de fruta sem açúcar feitos em casa ao longo do dia, como suco de laranja ou mamão;
Alimentos ricos em fibras e e água que ajudem a soltar o intestino, como cereais All Bran, maracujá ou amêndoas com casca, rabanete, tomate, abóbora, ameixa, laranja ou kiwi.
1 colher de sementes, como linhaça, gergelim ou semente de abóbora no iogurte ou fazer mingau de aveia;
Evitar dar à criança alimentos que prendem o intestino, como pão branco, farofa, banana ou alimentos industrializados, pois são alimentos pobres em fibras e tendem a se acumular no intestino.
Geralmente, a criança deve ir no banheiro logo que tem vontade, pois ficar segurando só traz malefícios ao corpo e o intestino acaba se acostumando com aquela quantidade de fezes, fazendo com que seja preciso cada vez mais uma quantidade maior do bolo fecal para que o corpo dê o sinal de que precisa esvaziar.?

Além disso, em alguns casos, a criança pode precisar de aplicar remédios anti obstipantes, como bebegel, mas antes de dar deve-se consultar o pediatra.
Como identificar a prisão de ventre na criança
Para identificar que a criança está com prisão de ventre deve-se observar os seguintes sinais e sintomas:

Fezes muito duras e secas;
Dor abdominal;
Inchaço da barriga;
Mal humor e irritabilidade;
Choro ao tocar na barriga;
Diminuição da vontade de comer.
A prisão de ventre na criança pode surgir caso esta não vá no banheiro quando sente vontade, tenha uma alimentação pobre em fibras, seja sedentária ou não beba água diariamente. Além disso, pode surgir em crianças ansiosas ou quando estão mais nervosas.

Quando levar a criança ao pediatra
Os pais da criança devem levá-la ao pediatra quando:

Ficar mais 5 dias sem fazer cocô;
Apresentar sangue nas fezes;
A criança ter dores abdominais muito fortes.
O médico deve ser informado sobre os hábitos intestinais da criança e como ela se alimenta para poder identificar as causas e assim indicar o tratamento mais adequado.